domingo, 8 de janeiro de 2017

Na revista VIP de janeiro/2017: serviços "tipo Netflix"

 
Ilustração: Alphadog

Felizmente existe a internet para que a gente possa complementar as informações que publica em papel. Minha coluna para a revista VIP de janeiro/2017 fala de serviços de streaming à nossa disposição, além do Netflix. Existe um "netflix de velho", uma de filmes thrash e outra que exibe filmes, documentários e séries para quem quiser dormir. Tudo isso está na edição nas bancas e ipads.

Aqui está a abertura da coluna:


Assim que a revista foi lançada, recebi este seguinte simpático Tweet:












Eu então fui conhecer o Qello. É muito bom mesmo, apesar do "acervo bom mas limitado" anunciado pelo Renzo. Vale a pena experimentar: https://qello.com/

A VIP de janeiro/2017 está nas bancas e tablets.



domingo, 18 de dezembro de 2016

A Liga da Mata em livro


A Liga da Mata é um projeto de Sergio Kalili que mostra as aventuras de uma turma de heróis brasileiros inspirados em personagens do folclore. A DMP iniciou sua participação neste projeto destinado ao público infanto-juvenil através da edição do seu primeiro livro. É uma aventura de grande porte. E está apenas no seu primeiro volume. 


domingo, 11 de dezembro de 2016

Na VIP de dezembro/2016: "Sobre a arte de criar playlists no Spotify"

Ilustração: Alphadog

Raramente eu ouço hoje um CD. Eu aderi completamente ao streaming, que me deixa cada vez mais feliz. E eu junto música desde a adolescência. Sempre quis mais e mais. Agora, eu tenho. Minha coluna da VIP fala da mudança de paradigma trazida por essa nova fase. Antes, eu tinha discos. Agora, monto playlists. E, ao contrário do que acontece com CDs e vinis, com o streaming eu estou no comando. Eu posso juntar as músicas favoritas de um artista, ou juntar músicos em estilos, ou criar música para situações específicas, e a imaginação é o limite.

A coluna começa assim:


A revista VIP de dezembro/2016 está nas bancas e tablets.


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Mais um capítulo em "California '92": Zappaland 2


Depois de um intervalo, voltei ao livro California '92 e publiquei mais um capítulo. É um livro experimental, editado na plataforma Wattpad. Por que experimental? Porque o Wattpad permite que se faça uma mistura de blog com livro, permitindo a inclusão de fotos e vídeos. O livro é publicado de capítulo em capítulo, e tudo pode ser modificado a qualquer instante.

Este livro é muito despretensioso, e conta em forma de diário uma viagem que fiz à California entre outubro e novembro de 1992. Cruzei o estado a bordo de um Mustang vermelho, e ainda estiquei minha viagem até Las Vegas (no estado de Nevada) e Tijuana (no México). Este capítulo que publiquei ontem é o segundo de uma série chamada "Zappaland", sobre uma excursão que fiz a locais relacionados à vida e obra de Frank Zappa (que ainda estava vivo na época). Foram alguns dias de imersão, que eu havia narrado de forma mais resumida na extinta revista Bizz e no livro Detritos Cósmicos, de Fabio Massari.

Em California 92, mostro entre outras coisas minha visita a Sun Village (um lugar muito querido pelo músico) e o que restou do Studio Z, seu primeiro estúdio de gravação em Rancho Cucamonga - que acabou de um jeito trágico para ele.




segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Na capa-colagem de "Delírios Digitais": Branson, Kournikova, Bond, Elvis e um Gordini vinho

Ilustração: Lu Gomes

Durante 18 anos eu escrevi colunas sobre tecnologia para a revista Info, da editora Abril. A ideia de reunir essas colunas num livro está na minha cabeça há muito tempo. A primeira ideia foi lançar um lívro impresso - que teria o nome de "Delírios Digitais". Pedi ao velho parceiro Lu Gomes que desenhasse a capa. O trabalho do Lu ficou incrível, como sempre.  Mas eu achei que seria incoerente da minha parte lançar um livro sobre tecnologia em papel. Delírios Digitais virou Alma Digital e foi publicado no Kindle/Amazon.

A capa de "Delírios Digitais" acabou saindo como uma colagem no estilo "Sgt Peppers", cheio de detalhes referentes ao conteúdo do livro: o carro Gordini do meu pai, o escritor Stephen King, som analógico, um míssil nuclear, uma webcam, um nerd, a tenista Anna Kournikova, o compositor Joseph Haydn, James Bond, o empresário Richard Branson, um avião Cessna 182, uma máquina de escrever, o Exterminador do Futuro, o game The Sims, os computadores HAL-9000 e TK-85, Frank Zappa. Entre outros símbolos que nem eu mesmo sou capaz de decifrar.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Mais sobre a coluna para a VIP: as músicas compostas por computadores estão aqui


A coluna da VIP citada no post anterior cita duas composições realizadas basicamente por programas que usam inteligência artificial. Aqui estão os vídeos que mostram as duas composições. O primeiro vídeo trás a canção pop Daddy's Car, criada a partir de 45 canções dos Beatles processadas pelo programa Flow Composer:


Agora a peça Symphonologie, interpretada por uma orquestra de 50 elementos num evento realizado no Museu do Louvre, em ParisSymphonologie foi composta a partir da interpretação artística de artigos sobre negócios e tecnologia: